CABALA

POR CSF

Dedico este Site e o CSF a todos que anseiam pela Luz, Conhecimento e a Verdade, Dedico e sou imensamente Grato de coração a Alessandra Doglia Oliveira (Soror Aleph) pelo auxílio na Criação deste Site.

A KAABALAH HERMÉTICA X CABALA PROFANA

Eis a celebre ciência, mesmo os que não a conhecem só de ouvirem sobre ficam atentos pra ‘’receber’’, porém poucos sabem que a Cabala apesar de encerrar todos mistérios da criação e poderes fantásticos, ainda não é o conhecimento divino, mas sem Cabala não se chega ao Verdadeiro Poder. Pena que a cabala que vem sendo ensinada esta muito deturpada, e mais confunde e aprisiona que liberta, já que RELIGIÃO te liga a ignorância e a Cabala vem sendo erroneamente atrelada a religião e falsamente divulgada como exclusiva de certos AUTO-ESCOLHIDOS. Dizem os auto eleitos que Cabala só pode ser estudada por JUDEUS, com 40 anos ou mais, Casados e Circuncisos que já fez Bar Mitsva, Será? Dizem ainda que significa Receber, realmente a palavra KBL em hebraico é recepção ou receber, e se voce ir em um hotel ou estabelecimento em ISRAEL, na recepção você vera a palavra cabala, ironia interessante essa! Porem cabala é muito mais antiga . . . Anterior ao Próprio Egito, vejamos:

Os atlantes tinham a tecnologia chamada MERKAABA que é parecido com os Vimanas Hindu, um hexagrama giratório formado por tetraedros que servem como uma ‘’Carruagem ou carro’’ de transporte rápido, girando 27x mais rapido que a velocidade da luz, formando uma energia chamada Energia Tákion (A FORMA DA LUZ SE TORNA MUITO PARECIDA COM UM DISCO VOADOR QUANDO ATIVADO), e significa MER Luz Giratória KAA- Centelha divina BAH – Liberdade de Partícula, Os Egípcios que eram recendentes direto dos Atlantes receberam isso e interpretaram adicionando o elemento LAH – >

Kaabalah significa em ‘’Atlante’’: Kaa = Centelha divina Ba- Liberdade de Partícula Lah- Deus da Lua (Ptah, Lah ou Yah), Ora este não é o deus dos auto eleitos?, não nos interprete como preconceituosos, pois ‘’pre-conceito’’ é o que vem ANTES DO CONCEITO, logo não é a verdade, NOS ESTAMOS COMPROMETIDO COM A VERDADE, Vemos que o sentido disso interpretado é a Centelha divina que proporciona a liberdade do YAH o manipulador das partículas (Matéria) através das influenças da LUA (ASTRAL-YESOD-EMOÇÕES E SENTIMENTOS), Ora a Lua influencia a Água e o ser humano é composto de mais de 70% de Água em sua composição, e a terra nem preciso falar que é em maioria água, podendo brincar de chamar planeta Água e não terra. Então vede? A Cabala Hermética ou Egípcia é bem mais anterior que a Cabala Judaica ou outras pseudo-Cabalas. Peço que não aceite o que nos revelamos, mas também não duvides, pois a coisa mais ridícula é negar o que não conhece, então receba e busque a verdade, pois quando receberes a verdade por si mesmo dentro de ti, todo resquício de mentira sumira, por que dizem os sábios que a verdade não pode coexistir com a mentira, se pensares assim tu poderás ler ou ouvir as coisas mais diabólicas ou as mais divinas, nenhuma poderá te influenciar, pois não há religião maior que a verdade.

O Merkaba contem o Hexagrama cujo o 7 explica, 7 cavalos puxando a ”CARRUAGEM” em busca da sua 8° Superior, buscando ser Onda e não partícula. Veja algumas imagens representando essa Tecnologia de Kaabayah Prática :

Bem a cabala se usa de um diagrama muito interessante chamado Arvore das Vidas, que tem a ver com as geometrias sagradas, proporção áurea, vesica piscis e a flor da vida, este diagrama é dividido em 3 pilares: direita – Misericórdia, esquerdo – severidade e central – equilíbrio, também por 10 filtros chamados Esferas, Sefirot ou Safiras, que estão associados com as analogias da arte: Níveis de consciência, níveis da criação e ação da realidade sobre as energias, planetas, anjos, Aspectos de deus, coisas do dia-a-dia, coisas naturais, celestes, profanas, pecados, capitais, pragas do Egito, e muito mais… que por sua vez são conectados com 22 caminhos, que se comunicam com as 22 laminas dos arcanos maiores do TARO, 22 letras hebraicas e 22 runas nórdicas. Ainda esse diagrama divide a Criação em 4 planos: Atzilut – emanação ou plano de Deus, Briah – Criação e plano dos arcanjos e anjos superiores (DEUSES), Yetzirah o plano da formação ou das formas, sendo o mundo dos anjos, do astral e do mental, e ASSIAH o plano físico da terra e de malchut (Fisco Palpável), deve-se ter em mente que os anjos estão por tudo, assim como daemons eles se comunicam e obedecem hierarquias. A Cabala ainda divide a Alma humana em 5 partes, um pouco diferente dos Orientais que dividem em 7 corpos sutis, ambos estão corretos, porém os Orientais dão mais detalhes apenas. Os 5 níveis são:

É esta centelha Divina que se constitui na essência de nossa vida interior. Apesar de ser o homem composto de matéria e espírito, seu corpo é somente o invólucro material dessa faísca Divina. Além disso, é a alma que reflete diretamente nossa relação com D’us, pois, como está escrito, “a chama de D’us é a alma do homem” (Provérbios, 20:27).

Podemos comparar a alma à chama de uma vela. Quando acesa, sobe, percorre o ar, mas o pavio a puxa de volta à terra. Da mesma forma, enquanto a alma está em constante movimento ascendente, em direção a D’us, o corpo, com suas exigências físicas, a retém neste plano físico. Uma pessoa íntegra e saudável é aquela em quem alma e corpo convivem unidos, em perfeita sintonia; é aquela que consegue atingir uma harmonia entre o seu lado material e o espiritual, alguém que consegue levar uma vida espiritualmente significativa e, ao mesmo tempo, produtiva.

Tipos de alma

O homem tem dois tipos de alma: a “alma animal” (Nefesh HaBehamit), faísca de D’us contida no sangue, a dizer, nos processos da vida químico-fisiológica, é responsável pelos sentimentos e pela inteligência natural do ser humano. Está escrito na Torá: “A força vital da carne está no sangue” (Levítico, 17:11). Como esta “alma animal”, para atender suas necessidades materiais, afasta o homem do plano espiritual, é chamada no Talmud, de “má inclinação” (Yetzer HaRá).

Este tipo de alma não existe somente no homem, mas em todas as criaturas vivas. Transmitida através do material genético no momento da concepção, expande-se constantemente à medida que a criatura amadurece. Conseqüentemente, a inteligência das diversas espécies animais varia muito de uma espécie a outra. O intelecto do ser humano é muito diferente do intelecto dos animais, e sua “alma animal” é responsável por atributos e faculdades distintos como: imaginação, memória, inteligência e vontade.

Além desse “eu” material, o homem possui também uma alma que é única entre todas as criações Divinas. Ao descrever a criação de Adão, diz a Torá: “D’us formou o homem da poeira da terra, e depois soprou em suas narinas a alma da vida – Nishmat Chaim”. O homem, então, tornou-se uma criatura viva – Nefesh Chayá (Gênese, 2:7). A Torá está-nos indicando que a alma humana veio diretamente da Essência mais íntima de D’us. O restante da Criação, por sua vez, foi criado por D’us através da Palavra Divina, que é de um nível inferior, pois assim como as ondas sonoras são geradas por uma pessoa mas não constituem a própria pessoa, da mesma forma o restante da Criação emana do Poder de D’us, mas não de Sua Essência.

Este segundo tipo, a “alma divina”, é uma entidade espiritual muito diferente e mais elevada que a alma “animal”. É a “divina” que dirige a “animal” – nosso lado material – e é através dela que a alma, como um todo, cumpre suas funções e sua missão na terra. Em cada momento da vida do homem neste mundo físico, interagem o lado espiritual e material, um influenciando o outro. O contato e a atração mútua entre o corpo e a alma criam uma contingência, uma situação única, gerando a pessoa humana, que não é nem só corpo nem só alma, mas uma fusão dos dois.

A “alma divina” é freqüentemente denominada “entidade singular” por ser única em sua missão. Pois, apesar de todos os laços que unem cada alma individual à sua Fonte Superior, cada uma dessas é única e especial em sua essência, em sua capacidade e naquilo que delas se exige. Não há duas almas que coincidam quanto aos atos, funções e caminhos que percorrem.

Os cinco níveis da alma

A alma não é algo concreto; está além daquilo que o intelecto consegue compreender por si próprio. A Cabalá explica que o que comumente chamamos da “alma” de um homem consiste, de fato, de várias “almas”. Não é um ponto único no espaço e deve ser entendida não como uma única “existência” que tem uma qualidade ou caráter, mas como muitas “existências”, de vários níveis espirituais. Podemos dizer que, na realidade, em cada homem há um determinado número de níveis de almas, unidas como os elos de uma corrente que se estende do corpo da pessoa até a Fonte de todas as almas. A ligação entre corpo e alma pode ser comparada com o que acontece na extremidade de um raio de luz, ao iluminar um corpo escuro.

O “eu” que surge da relação entre o corpo e a alma não é algo constante de uma essência especifica, é diferente em cada estágio da vida de um homem. Por exemplo, no início de nossa existência, o “eu” concentra-se quase que totalmente no corpo e em suas necessidades. Com o amadurecimento, a pessoa se torna cada vez mais consciente da essência mais elevada de sua alma.

Segundo a Cabalá, o que chamamos de alma humana é composto por cinco partes:

1) Nefesh -“alma animal”, é a alma humana em seu nível mais primário. Anima a existência dando-lhe força de vida, de movimento e propagação das espécies, também capacitando o homem a pensar, divagar e sonhar. A palavra deriva da raiz Nafash, que significa repouso, como no verso, “No sétimo dia, (D’us) cessou o trabalho e descansou (Nafash)” (Êxodo, 31:17).

2) Ruach – que significa vento, é o Espírito, a “alma divina”.

3) Neshamá, literalmente “sopro”, é a Respiração, a “alma superior”, mais pura ainda.

4) Chayá, a Essência vivente.

5)Yechidá, a Essência única, pode ser considerada o ponto de contato entre a alma e a própria essência do Divino.

Essas almas mais elevadas referem-se à verdadeira essência humana e sua associação com D’us, Raiz Suprema, e com os mundos espirituais. Este conceito inclui também a alma adicional, que chega no início do Shabat e se vai, ao seu término.

Nossos sábios ensinam que o ato do Arconte maior, ao insuflar a alma em um corpo, pode ser comparado ao do artesão que sopra o vidro para dar forma a um recipiente. A alma, Neshamá, deixa os lábios d’Ele, viaja como o vento, Ruach, até finalmente descansar, Nefesh.

Dos três níveis, a Neshamá é o mais elevado e, portanto, mais próximo a Deus. Enquanto Nefesh é aquele aspecto da alma que reside no corpo, Ruach fica entre os dois, vinculando o homem à sua Fonte Espiritual. É por essa razão que a Inspiração Divina é chamada Ruach Hakodesh, em hebraico. A Neshamá é movida apenas pelo pensamento; Ruach pela fala e Nefesh pela ação.

Assine agora e Estude Kaabalah com nós: https://hotm.art/cabala

A Arvore das Vidas
Para saber mais baixe o arquivo abaixo Gratuitamente e se inscreva em nosso Cursos: https://cabalasemfronteiras.com/cursos/

PDF GRATIS CSF DE KAABALAH –

2 PDF’S SOBRE MERKAABA, KUNDALINI E GEOMETRIA SAGRADA:

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close